Comunicado Ovarense Basquetebol

A época desportiva da Ovarense na Liga Portuguesa de Basquetebol atingiu o seu termo precocemente. Sendo a Ovarense a equipa portuguesa que há mais tempo marca presença na competição de topo de basquetebol nacional, é apenas a segunda vez que não se qualifica para a disputa do play off.

Inegavelmente tratou-se de uma época que se antevia de transição, mas que se revelou ainda mais difícil do que o esperado.

É devida uma palavra aos nossos adeptos e um agradecimento aos patrocinadores que nos acompanharam.

No início da época foi decidido empreender uma renovação do plantel, o que envolveu a contratação de alguns promissores atletas portugueses para colmatar a saída de referências do clube, com muitos anos de casa. Esperávamos uma época em que a assimilação de processos e da cultura da equipa se iria fazer gradualmente, com um início de época mais difícil.

No que aos jogadores estrangeiros diz respeito, como acontece quando o orçamento é restritivo, desejámos manter o mais possível e colmatar as saídas. Neste contexto, mantivemos Kyle Anderson, e registámos saídas para a série A2 italiana (mais tarde para o campeonato grego) e para a Roménia (mais tarde LEB Oro espanhola). Assentando em três lugares para estrangeiros assegurámos um jogador base e um interior. Como o americano contratado para as posições interiores não se conseguiu adaptar, foi trocado no decurso da época por Jermel Kennedy, atleta canadiano.

A infelicidade tocou à porta, e fruto de uma lesão no tendão de Aquiles, Kyle Anderson viu-se impedido de dar o seu contributo à equipa, tendo sido substituído, já com a época avançada, por Ervin Mitchell.

Por seu turno, Will Perry teve de regressar aos Estados Unidos, por imposição dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, na fase crucial do apuramento para o play off. Fomos vítimas de um mau entendimento das alterações introduzidas no regime de atribuição de autorização de residência a estrangeiros, que se anunciava mais facilitador, mas se veio a revelar muito mais restritivo do que o praticado em anos anteriores.

Como é sabido a equipa profissional de basquetebol só existe suportada por acordos com empresas patrocinadoras. Este ano não teria sido diferente.

Antes do início da época assegurámos o contrato para a continuidade do patrocinador principal, por mais dois anos. No entanto em Janeiro foi decretada a insolvência da empresa e de imediato cessaram os pagamentos de um patrocínio que respondia por aproximadamente 60% do orçamento da equipa. Só nos restou reclamar os montantes em dívida, superiores a cem mil euros, em sede do processo de insolvência.

A continuação da atividade prosseguiu apoiada nos demais patrocinadores, a quem apelámos para nos acompanhar nesta autêntica luta pela sobrevivência.

Julgamos que muitos não se terão apercebido destas dificuldades que se nos depararam e que agora, com a época desportiva fechada, partilhamos.

Quanto ao futuro, a continuação da atividade não está garantida, e irá depender da mobilização de patrocínios que a Ovarense consiga. Neste momento precisamos de sentir o apoio de todos: adeptos, patrocinadores e agentes da modalidade.

PARTILHA

Related Post